Aviso de Risco

Leia com atenção

Fatores de Risco Relacionados ao Negócio

O investimento em empresas estreantes (start-ups) envolve uma série de riscos que deverão ser observados pelos potenciais investidores, tais como fatores de liquidez, crédito, mercado, rentabilidade, regulamentação específica, entre outros, que se relacionam tanto às microempresas ou empresas de pequeno porte (“Ofertantes”), quanto aos próprios valores mobiliários objeto de uma oferta. Os potenciais investidores devem ler cuidadosamente todas as informações que estão descritas nesta seção “Fatores de Risco”, bem como consultar seu consultor de investimentos e outros profissionais que julgarem necessários antes de tomar uma decisão de investimento, como advogados e contadores.

Os negócios, a situação financeira, ou os resultados operacionais das Ofertantes podem ser adversa e relevantemente afetados por quaisquer desses riscos. Riscos adicionais que não são atualmente do conhecimento das Ofertantes, ou que as Ofertantes julguem no momento ser de pequena relevância, também podem vir a afetar os negócios das Ofertantes. Os riscos descritos abaixo não são os únicos enfrentados pelas Ofertantes. Empresas estão sujeitas a riscos adicionais e imprevisíveis, comuns a qualquer investimento no Brasil em geral.

Possibilidade de Perda Total dos Recursos Investidos

Grande parte das empresas estreantes (start-ups) tornam-se insolventes ou alcançam estado de falência. Por esta razão, investimentos neste tipo de sociedade envolvem risco significante de perda de todo ou de parte substancial do valor investido. É prudente investir uma quantia que você possa estar disposto a perder, bem como optar pela diversificação do investimento em várias sociedades como forma de diluir o risco de perda do montante aplicado. Se uma sociedade tornar-se insolvente ou vier a falir, a sociedade investida não devolverá o montante por você investido e tampouco a EuSócio Participações Ltda. (“EuSócio”) terá responsabilidade por reembolso ou compensação.

Falta de Liquidez

Liquidez é um conceito financeiro que se refere à facilidade com que um ativo pode ser convertido em dinheiro. O grau de agilidade de conversão de um investimento, sem perda significativa de seu valor, mede a sua liquidez.

Um ativo é tanto mais líquido quanto mais fácil for transformá-lo em dinheiro vivo, ou seja, a liquidez pode ser entendida como a medida de interesse que o mercado tem em negociar esse ativo.

Títulos de sociedades que foram adquiridas por meio da Plataforma EuSócio não podem ser alienadas com facilidade e rapidez. Não há nenhuma garantia de que existirá, no futuro, um mercado para negociação dessas quotas que permita sua alienação pelos subscritores desses títulos caso estes decidam pelo desinvestimento.

Sem um mercado secundário, o investidor que adquirir quotas das Ofertantes poderá encontrar dificuldades para negocia-las, devendo estar preparado para manter seu investimento. Qualquer investimento por meio da Plataforma EuSócio deve ser entendido como um investimento ilíquido e de longo prazo.

Não Pagamento de Dividendos

Dividendo é a parcela do lucro apurado pela sociedade que é distribuída aos sócios, geralmente por ocasião do encerramento do exercício social. A maioria das sociedades que ofertam suas quotas por meio da Plataforma EuSócio são empresas estreantes (start-ups) e tais sociedades raramente distribuem dividendos aos seus sócios.

Usualmente os lucros das Ofertantes são destinados ao reinvestimento nas atividades das sociedades como forma de alimentar o crescimento da empresa e criar valor para seu acionista. As Ofertantes não têm obrigação de pagamento de dividendos, ficando os mesmos condicionados à caracterização de lucros.

Diluição de Participação Societária

Qualquer investimento realizado por meio da Plataforma EuSócio está sujeito à diluição no futuro. A diluição da participação acionária de determinado sócio acontece quando da emissão de novas quotas e/ou ações. A diluição afeta qualquer sócio que não venha a adquirir as novas quotas e/ou ações ofertadas. Como resultado da emissão de novas quotas e/ou ações, a diluição impacta determinados direitos, como o de voto.

Ao analisar uma oferta (pitch) procure observar as regras contidas no Contrato ou Estatuto Social para futuras emissões e os efeitos que poderão advir da diluição.

Necessidade de Diversificação dos Investimentos

Diversificar investimentos significa aplicar recursos em vários segmentos para fins de redução de risco em razão de uma menor exposição a determinado valor mobiliário.

A diversificação de investimentos é prática recomendada por especialistas. É recomendável que potenciais investidores apliquem apenas parte de seus recursos em sociedades que ofertem suas quotas por meio da Plataforma EuSócio. Tais investimentos devem ser equilibrados com a aplicação do restante dos recursos em opções mais líquidas e menos agressivas.

Forma de Sociedade

As Ofertantes são sociedades limitadas e podem, em algum momento futuro, se transformar em companhias fechadas. Sendo sociedade limitada ou companhia fechada, as Ofertantes não estão sujeitas às obrigações de divulgação e publicações de informações relevantes aplicáveis às companhias abertas, nem sujeita à fiscalização da CVM. Por conseguinte, os sócios que adquirem quotas dessas sociedades poderão ter maiores dificuldades na obtenção de informações relativas às Ofertantes.

Informações Acerca do Futuro das Ofertantes

Eventuais informações acerca das perspectivas do futuro das Ofertantes contidas no website [www.eusocio.com.br] refletem as opiniões das Ofertantes em relação a desenvolvimentos futuros e que, como em qualquer atividade econômica, envolvem riscos e incertezas. Embora as Ofertantes acreditem que as informações acerca das perspectivas do seu futuro sejam baseadas em convicções e expectativas razoáveis, não pode haver garantia de que o desempenho futuro seja consistente com essas informações. Os eventos futuros poderão diferir sensivelmente das tendências por elas indicadas, dependendo de vários fatores discutidos nesta Seção “Fatores de Risco”. Os potenciais investidores são advertidos a examinar com toda a cautela e diligência as informações acerca do futuro das Ofertantes e não tomar decisões de investimento unicamente baseados em previsões futuras ou expectativas. As Ofertantes não assumem nenhuma obrigação de atualizar ou revisar qualquer informação acerca das perspectivas de seu futuro.

Demais Riscos Relacionados aos Negócios ou às Ofertantes

As quotas estão sujeitas às variações e condições do mercado de atuação das Ofertantes, que é afetado principalmente pelas condições políticas e econômicas nacionais e internacionais. O investimento nas Ofertantes poderá estar sujeito a outros riscos advindos de motivos alheios ou exógenos, tais como moratória, guerras, revoluções, mudanças nas regras aplicáveis aos valores mobiliários de modo geral.

Riscos Relacionados a Fatores Macroeconômicos Nacionais

Política Econômica do Governo Federal

A economia brasileira tem sido marcada por frequentes e, por vezes, significativas intervenções do Governo Federal, que modificam as políticas monetárias, de crédito, fiscal e outras para influenciar a economia do Brasil.

As ações do Governo Federal para controlar a inflação e efetuar outras políticas envolveram, no passado, controle de salários e preço, desvalorização da moeda, controles no fluxo de capital e determinados limites sobre as mercadorias e serviços importados, dentre outras. Não temos controle sobre quais medidas ou políticas que o Governo Federal poderá adotar no futuro e não há como prevê-las. Os negócios, resultados operacionais e financeiros e o fluxo de caixa das Ofertantes podem ser adversamente afetados em razão de mudanças na política pública federal, estadual e/ou municipal, e por fatores como:

  • variação nas taxas de câmbio;
  • controle de câmbio;
  • índices de inflação;
  • flutuações nas taxas de juros;
  • falta de liquidez nos mercados doméstico, financeiro e de capitais;
  • racionamento de energia elétrica;
  • instabilidade de preços;
  • política fiscal e regime tributário; e
  • medidas de cunho político, social e econômico que ocorram ou possam afetar o País.

Adicionalmente, o Presidente da República tem poder considerável para determinar as políticas governamentais e atos relativos à economia brasileira e, consequentemente, afetar as operações e desempenho financeiro de empresas brasileiras. A incerteza quanto à implementação de mudanças por parte do Governo Federal nas políticas ou normas que venham a afetar esses ou outros fatores no futuro pode contribuir para a incerteza econômica no Brasil e para aumentar a volatilidade do mercado de valores mobiliários brasileiro, sendo assim, tais incertezas e outros acontecimentos futuros na economia brasileira poderão prejudicar as atividades das Ofertantes e seus resultados operacionais.

Efeitos da Política Anti-Inflacionária

Historicamente, o Brasil teve altos índices de inflação. A inflação e as medidas do Governo Federal para combatê-la, combinadas com a especulação de futuras políticas de controle inflacionário, contribuíram para a incerteza econômica e aumentaram a volatilidade do mercado de capitais brasileiro. As medidas do Governo Federal para controle da inflação frequentemente têm incluído a manutenção de política monetária restritiva com altas taxas de juros, restringindo, assim, a disponibilidade de crédito e reduzindo o crescimento econômico. Futuras medidas tomadas pelo Governo Federal, incluindo ajustes na taxa de juros, intervenção no mercado de câmbio e ações para ajustar ou fixar o valor do Real, podem ter um efeito material desfavorável sobre a economia brasileira e sobre os ativos das Ofertantes.

Instabilidade da taxa de câmbio e desvalorização do Real

A moeda brasileira tem historicamente sofrido frequentes desvalorizações. No passado, o Governo Federal implementou diversos planos econômicos e fez uso de diferentes políticas cambiais, incluindo desvalorizações repentinas, pequenas desvalorizações periódicas (durante as quais a frequência dos ajustes variou de diária a mensal), sistemas de câmbio flutuante, controles cambiais e dos mercados de câmbio. As desvalorizações cambiais em períodos de tempo mais recentes resultaram em flutuações significativas nas taxas de câmbio do Real frente ao Dólar em outras moedas. Não é possível assegurar que a taxa de câmbio entre o Real e o Dólar irá permanecer nos níveis atuais.

As depreciações do Real frente ao Dólar também podem criar pressões inflacionárias adicionais no Brasil que podem afetar negativamente os resultados operacionais das Ofertantes.

Efeitos da Elevação Súbita da Taxa de juros

O mesmo podemos dizer sobre o impacto da variação das taxas de juros, junto aos principais agentes do mercado, com efeito desfavorável junto aos potenciais investidores e às Ofertantes.

Efeitos da Retração no Nível da Atividade Econômica

Eventual retração no nível de atividade da economia brasileira, ocasionada por crises internas ou externas, pode acarretar elevação no patamar de inadimplemento de pessoas físicas e jurídicas, inclusive das Ofertantes.

Uma eventual redução do volume de investimentos estrangeiros no País poderá ter impacto no balanço de pagamentos, o que poderá forçar o Governo Federal a ter maior necessidade de captações de recursos, tanto no mercado doméstico quanto no mercado internacional, a taxas de juros mais elevadas. Igualmente, eventual elevação significativa nos índices de inflação brasileiros e eventual desaceleração da economia americana podem trazer impacto negativo para a economia brasileira e vir a afetar os patamares de taxas de juros, elevando despesas com empréstimos já obtidos e custos de novas captações de recursos por empresas brasileiras.

Riscos Relacionados a Fatores Macroeconômicos Internacionais

Acontecimentos adversos na economia e as condições de mercado em outros países de mercados emergentes, especialmente da América Latina, poderão influenciar o mercado em relação aos títulos e valores mobiliários emitidos por companhias brasileiras. Ainda que as condições econômicas nesses países possam diferir consideravelmente das condições econômicas no Brasil, as reações dos Investidores aos acontecimentos nesses outros países podem ter um efeito adverso no valor de mercado dos títulos e valores mobiliários de emissores brasileiros.

Além disso, em consequência da globalização, não apenas problemas com países emergentes afetam o desempenho econômico e financeiro do país, como também a economia de países desenvolvidos, como os Estados Unidos da América, interferem consideravelmente no mercado brasileiro.

Assim, em consequência dos problemas econômicos em vários países de mercados desenvolvidos em anos recentes (como por exemplo, a crise imobiliária nos Estados Unidos da América em 2008), os Investidores estão mais cautelosos na realização de seus investimentos, o que causa uma retração dos investimentos. Essas crises podem produzir uma evasão de investimentos estrangeiros no Brasil, fazendo com que as companhias brasileiras enfrentem custos mais altos para captação de recursos, tanto nacional como estrangeiro, impedindo o acesso ao mercado de capitais internacionais.

Limitação de Responsabilidade

As informações contidas no website [www.eusocio.com.br] não devem, em nenhuma circunstância, serem consideradas uma recomendação de investimento, subscrição ou aquisição, conforme o caso, de quotas de emissão das Ofertantes. Ao decidir investir, subscrever ou adquirir, conforme o caso, quotas das Ofertantes, os potenciais investidores deverão realizar sua própria análise e avaliação sobre as Ofertantes, seus setores de atuação, atividades, situação econômico-financeira, resultado de suas operações e riscos decorrentes do investimento nas quotas.

Recomenda-se aos potenciais investidores a leitura, nesta seção “Fatores de Risco”, dos itens “Falta de Liquidez”; “Não Pagamento de Dividendos”; “Possibilidade de Perda dos Recursos Investidos”; e “Diluição de Participação Societária”, antes de tomar qualquer decisão de investir nas quotas ofertadas por meio da Plataforma Eusocio.

A dispensa de registro na oferta perante a CVM não implica, por parte da CVM, em garantia de veracidade das informações prestadas ou em julgamento sobre a qualidade das Ofertantes, bem como sobre as quotas a serem distribuídas.

As oportunidades de investimento divulgadas no website [www.eusocio.com.br] não contam com nenhum mecanismo de garantia ou proteção do investimento realizado e são destinadas exclusivamente a investidores sofisticados capazes de entender os riscos envolvidos e realizar suas próprias decisões de investimento, ou ainda, a investidores qualificados, conforme definido na Instrução CVM nº 409, de 18 de agosto de 2004, conforme alterada.

O Eusocio não fornece qualquer garantia, expressa ou implícita, a respeito das informações e materiais disponibilizados pelas Ofertantes, inclusive em relação à veracidade, completude, consistência, precisão, correção, segurança, finalidade, qualidade, autenticidade, adequação, atualização e suas referências aos valores mobiliários e demais assuntos contidos nessas informações e materiais.

Nenhuma das informações apresentadas no website [www.eusocio.com.br] constitui prospecto, parecer financeiro, jurídico ou fiscal, ou ainda, deve ser interpretada como aconselhamento de investimento ou recomendação de compra, venda ou outra forma de transação envolvendo quaisquer produtos e/ou serviços de investimento, ou ainda, como recomendação de realização de ato jurídico de qualquer natureza, sendo de inteira responsabilidade do potencial investidor a realização de todas as diligências e julgamentos necessários anteriormente à realização de um investimento.

Em nenhuma hipótese, no limite permitido pela legislação, a EuSócio, seus administradores, empregadores, operadores e demais prepostos terão qualquer responsabilidade de qualquer natureza perante terceiros, por perdas diretas ou indiretas, obrigações, custos, reclamações, despesas, prejuízos ou danos de qualquer espécie, relacionados aos investimentos realizados por meio do website [www.eusocio.com.br] para os fins a que esta se destina.


Não há investimento sem risco; todo investimento envolve riscos.


Dúvidas

Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões sobre qualquer conteúdo disponível em nosso website, por favor, entre em contato pelo e-mail faleconosco@eusocio.com.br .

Investir em start-ups e em empresas em fase inicial envolve riscos, incluindo falta de liquidez, falta de dividendos, diluição e perda de investimento, e isso deve ser feito apenas como parte de um portifolio diversificado. Eusocio é direcionado exclusivamente a investidores informados desses riscos e capazes de tomar suas próprias decisões de investimento.